Como escolher um Coaching Executivo

Em um artigo publicado na Forbes www.forbes.com , Erika Andersen, uma experiente coach executiva, aponta o crescimento da credibilidade do coaching executivo porque Stanford está fazendo estudos sobre coaching executivo e os CEOs requisitam estes serviços cada vez mais.

Ela aponta a evolução do coaching executivo nos EUA ao longo dos últimos 25 anos, através da reação do mundo corporativo diante do processo:

  • Final dos anos 1980: “Um coach? O que é um coach? “
  • 1990 início: “Um coach? Quer dizer, como … encolher um coach executivo? “
  • Final dos anos 90: “Um coach? Estou em apuros! “
  • Início dos anos 2000: “Um coach? Graças a Deus,eu acho. “
  • Final dos anos 2000: “Um coach? Ótimo!”
  • Atualmente: “Um coach? Quanto tempo eu posso trabalhar com ele quando vou começar a escolher o que eu quero? ”

A boa e a má notícia:

Em outras palavras, a boa notícia é que a maioria dos executivos já vê o coaching como um investimento a sua organização faz no seu sucesso, e estão até começando a se tornarem consumidores conscientes.

A má notícia é que, como com qualquer coisa que fica popular, há agora muitas pessoas que, aproveitando a onda do coaching e se oferecendo como coaches executivos.

Qualquer um pode reivindicar ser um coach. Andersen relata que uma pessoa de RH tinha recomendado um “coach” para um de seus executivos, alguém que disse que tinha grande experiência em “desenvolvimento de executivos” por mais de uma década.

Na verdade, este cara tinha sido um generalista de RH – um bom – e certamente tinha aconselhado empregados informalmente em muitas ocasiões, mas isso não o tornava um coach executivo qualificado.

Então, como saber escolher um coach executivo? Ela aponta cinco qualidades para avaliar e garantir que o coaching seja um grande investimento e evitar desperdício de tempo e dinheiro:

1. Ter clareza sobre o processo:

Coaches realmente qualificados serão capazes de conduzir o processo, trabalhando para definir situação atual, desejada, habilidades a serem desenvolvidas para percorrer este caminho.

2. Ir além do seu ponto de vista:

Um bom coach ajuda a confrontar como o coachee se vê e é visto, buscando oportunidades para avançar em direção ao objetivo. Todos têm pontos cegos, e é importante ter uma noção de como os outros vêem o coachee e interagem com ele.

3. Habilidades reais:

Grandes coaches vão saber identificar e desenvolver habilidades úteis ao objetivo organizacional, ampliando consciência e conhecimento, ajudando o coachee a integrar o que o aprendeu em sua vida do dia-a-dia. Eles serão capazes de descrever muito especificamente como eles têm trabalhado com outras pessoas para melhorar as suas capacidades de liderança, de gestão, operacionais ou de negócios.

4. Confidencialidade:

Bons coaches fazem acordos muito claros sobre confidencialidade seus coachees, e mantêm esses acordos.

5. Sucesso real:

Um coach eficaz possibilita que os coachees tenham melhores resultados no seu trabalho. Bons coaches ajudam os seus clientes a obter mais clareza sobre como eles podem contribuir para o sucesso da sua organização.

Se um coach não pode apontar coachees reais que melhoraram de maneira mensurável, como você poderia pensar em trabalhar com ele?

Um profissional de RH que observar estes princípios, minimiza os riscos na contratação e garante à sua empresa e ao seu candidato a coachee, as melhores chances de obter resultados de alto impacto.

Caroline Calaça-Executive & Business Coach

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu