Neurociência Aplicada ao Coaching

Para quem é coach, conhecer neurociência é fundamental. Compilamos dicas excelentes sobre o tema.

PA. Memória de trabalho de curto prazo, registra novidades e novos conhecimentos.

O gânglio basal registra as memórias de comportamentos habituais e aciona córtex pré-frontal.

O Lado esquerdo e o lado direito do Cérebro

O lado esquerdo do cérebro controla as funções do lado direito do corpo e o lado esquerdo elabora a fala. Do lado direito do cérebro está o tom e a melodia da fala. Criatividade depende dos dois lados do cérebro. A principal diferença entre cérebro masculino e feminino é a sexualidade. A atração pelo sexo oposto.

O cérebro masculino é maior, mas isso não afeta nas capacidades e funcionalidades. Todas as outras funções são iguais. Tudo o que fazemos deixa marcas no cérebro e modifica o seu funcionamento.

O cérebro cresce até os 10 a 12 anos. O final da infância não significa o final do desenvolvimento do cérebro. A adolescência é a fase final de desenvolvimento das conexões e formatação do cérebro.

O aprendizado se dá pelas novas conexões cerebrais.

O cérebro nasce com capacidade de aprender todas as línguas. A experiência molda o funcionamento dele.

Adultos podem modificar comportamentos, mas as escolhas e decisões não são racionais. Elas acontecem a partir dos nossos valores . Avaliamos as situações como positivas ou negativas utilizando os valores. O que dirige isso são as motivações que comparam expectativas e realidade e provocam prazer ou dor no corpo.

Quando há prazer, a informação é enviada ao cérebro como feedback de que aquele comportamento deve ser repetido. Em uma outra circunstância, a sensação de prazer será antecipada ao corpo, antes do novo comportamento.

A motivação é a antecipação desse sistema de recompensas provocando do prazer até a euforia no corpo.

O aprendizado é um grande estímulo para o cérebro.

As emoções não são acessórios e sim essenciais. São a expressão que o corpo dá ao conteúdo dos pensamentos, fazendo com que passem pelo corpo para obter o feedback de que algo pode ser bom ou ruim. O medo é um aviso do cérebro que passa pelo corpo.

É importante que o cérebro reconheça as pessoas que nos dão apoio na vida. O cérebro percebe o carinho e reduz o stress, criando resistência contra ele no futuro. A solidão gera alerta no cérebro de que ele precisa se preocupar com os laços e não mais com o cotidiano.

O cérebro tem capacidade de relacionar suas representações emocionais anteriores. As mesmas partes do cérebro que processam as funções como visão e audição são capazes de replicar situações anteriores prevendo os resultados que um comportamento vai gerar, também gera empatia. É possível antecipar emocionalmente como o outro se sentiria, me colocando no lugar dela.

A Imaginação

A imaginação é a capacidade de pensar em algo que não está na nossa frente através da criatividade. Dependem da reativação de experiências armazenadas no cérebro do indivíduo. Algo com que não se tenha experiências sensoriais não pode ser reproduzido novamente.

Quanto mais rica for a experiência de vida e sensorial da pessoa, de mais elementos será possível no futuro dispor para criar. Só conseguimos imaginar algo que experimentamos em alguma ocasião por meio dos sentidos.

O cérebro tem capacidade de se reorganizar e não se regenerar ou construir novos neurônios. A reorganização funcional do cérebro acontece quando existe demanda. Redistribuindo funções. Uso forçado na fisioterapia imobilizando a mão direita e forçando o uso da mão esquerda, obrigada a usar o cérebro de outras maneiras.

Cérebro necessita 500 calorias dia e experiências.

Quem tem TOC (transtorno obsessivo compulsivo) possui um sistema de detecção de erros que entra em atividade intensa. O córtex órbito-frontal envia informações de que existe algo errado constantemente. A pessoa sabe de alguma forma que a mensagem está errada mas o alarme é tão irrefutável que é difícil não tentar resolver a situação e quanto mais ela tenta resolver a situação, mais enraizados ficam os circuitos neurais na gânglio basal.

Pessoas com TOC, ao tentar mudar comportamentos de rotina racionalmente, continuam a enviar mensagens para o cérebro de que algo não está certo. É preciso muita força de vontade para se desvencilhar de tais hábitos.

O Efeito Placebo

O cérebro muda de acordo com a atenção focalizada, já que a atenção produz padrões no cérebro. O efeito placebo comprova a capacidade do cérebro de se ajustar as expectativas criadas. A atenção do paciente no alívio da dor a partir de um medicamento ainda que sem efeito gera reduçao da percepção de dor segundo pesquisa de Robert C. Coghill de 28,4 %.

Dr. Price e Dr. Schwartz estão realizando um trabalho que demonstra o efeito zenão quântico. A expectativa de alívio da dor leva o cérebro a ativar os circuitos cerebrais responsáveis por esta sensação, causando redução na sensação da dor efetivamente. As pessoas vivênciam aquilo que esperam vivenciar.

A pesquisa do Instituto de Neurociência da Northwestern

University sobre os insights detectou explosões repentinas e oscilações de alta freqüência no cérebro segundos antes dos insights. Ocilações propícias a criar conexões em varias partes do cérebro, capazes de enriquecer nossos recursos mentais e superar a resistência do cérebro para a mudança.

Para que o insight seja assimilado é preciso dar a ele atenção constante e especial. Bons líderes precisam aprender a reconhecer, estimular e aprofundar insights de sua equipe.

Para que um insight tenha valor ele precisa ser gerado pelo indivíduo e não apresentado como uma conclusão. Isso comprova a eficiência do coaching.

No momento do insight ocorre uma experiência positiva e energizadora.

Essa corrente de energia é primordial para mudar comportamentos. Ela ajuda a lutar contra forças contrárias internas e externas e combater as respostas da amígdala.

Cada um dos indivíduos tem uma arquitetura cerebral única. O cérebro humano e tão complexo e individual que não faz sentido tentar entender como o outro organiza o seu pensamento. As redes neurais são influenciadas pelos genes, experiências e padrões de atenção.

É muito mais eficiente ajudar o outro a chegar aos seus próprios insights. Adam Smith na teoria dos sentimentos morais diz que transformarmos nos em espectadores do nosso próprios comportamento.

A Neuroplasticidade

A neuroplasticidade auto dirigida é um conceito que diz que quanto maior for a concentração em uma ideia ou experiência mental, mais alta é a densidade de atenção. Os que significa a quantidade de atenção dispensada a uma experiência mental específica durante um tempo específico.

Isso tem o poder de ativar o EQZ e faz com que novos circuitos cerebrais sejam estabilizados e desenvolvidos. Assim, pode tornar os pensamentos e atos pretendidos em parte intrínseca da identidade dos indivíduos, influenciando quem ele é, como ele percebe o mundo e como o cérebro dele funciona.

Estudo em 1997 com 31 gestores do setor público realizado por pesquisadores do Baruch colege Geraldo Olivero, constataram que um único programa de treinamento aumentava produtividade em 28% e com coaching após o treinamento o aumento era de 88% porque as ideias aprendidas passavam a receber atenção posterior e além disso, atenção consciente ao resultado aprimorado.

A memória de trabalho reduzida comprova que vários pequenos instantes de aprendizagem digeridos são mais eficientes que grandes blocos de tempo em workshops. O grande desafio é fazer as pessoas prestarem atenção suficiente as novas ideias.

Martins Seligman estudo com 47 indivíduos em depressão profunda constatou:

1º momento – participantes concentravam atenção em em coisas que comprovadamente aumentavam a felicidade deles exercício as 3 bênçãos. Escreviam 3 coisas que haviam corrido bem naquele dia e não na infelicidade.

2ºmomento – eram formadas comunidades que ajudavam as pessoas a prestar atenção aos exercícios indutores de felicidade. O resultado eram níveis de depressão reduzidos de sintomas graves para leves em 94% dos casos .

O que os líderes e coachs podem fazer é ajudar as pessoas a focar sua atenção em ideias específicas com proximidade e frequência suficiente por um período longo o bastante. Deixar comportamentos problema no passado e concentrar-se em identificar e criar novos comportamentos eficazes. Perguntando e não aconselhando.

Atualmente um dos maiores desafios é ser capaz de focalizar atenção suficiente em uma ideia em um mundo cheio de distrações.

Elogios e palavras de encorajamento ajudam a promover sinopse de preservação e não de eliminação.

O poder está no foco e na atenção que é colocada nele.

A resposta para os desafios de mudança está em desviar o foco das pessoas para soluções e não para o problema, deixá-las chegar às próprias respostas e mantê-las focalizadas em seus insights.

Hoje existe a premissa que conhecimento é poder. Conhecimento transmitido a um receptor passivo. Na verdade, estas pesquisas comprovam que o que funciona é ensinar as pessoas a como aprender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu